All Articles

I’ve Interviewed 8 Influential Content Creators – Here’s What I’ve Learned

Segue abaixo a versão escrita em português.

I’ve recently had the honor to be in contact with a local community of creators in Brazil. These creators produce content for at least one of the following platforms: YouTube, Instagram, and TikTok. They have together on average an audience of more than 1M followers. Most of them produce entertainment videos.

In my pursuit of better understand content creators, I’ve decided recently to interview them through video calls. During these calls, I was able to ask them about their goals and problems they encounter as content creators. Learn about their history, and how do they run and grow their business.

Throughout these interviews, it was made clear to me that the biggest struggle these creators encounter is to constantly find originality through their content. With the democratization of video editing tools by TikTok and Instagram, it’s now easier than ever to copy the style and format of existing creators and take credit for it. Existent creators many times struggle to keep their content original because they are often being copied. Ideally, they would like to be widely recognized for some video style they’ve invented. For instance, a style of comedy sketches that even if copied, viewers would remember that she invented it.

Another repeating challenge that they encounter is originated from being solo entrepreneurs. As a solo entrepreneur, a creator has to design and maintain her work routine. She doesn’t have the structure provided by a company that many employees do. She has to motivate herself every day to produce new content. She needs to learn how to deal with distractions and how to get back on track when she fails to meet her goals. This is often an overlooked difficulty as a solo entrepreneur.

As consumers, we don’t see and realize all the effort that exists behind being a content creator. We only see the final output of their work. But behind every video, there are many hours spent scripting, recording, and editing. There are countless nights thinking about what they do, what their content represents, and what identity they communicate to their audience. There’s uncertainty about what the future holds, what will be the next trends, what platform changes will happen, and how that will impact them.

Being a content creator isn’t just playing recording and publishing a video, it’s often years of hard work while having no support from friends and family. Most of the creators I’ve interviewed have been producing content from a very young age and have been doing it for more than five years. A content creator is not only an artist, he’s a committed entrepreneur. They probably deserve a lot more respect for their work than people are willing to give them.

Thanks to Monisy, Diêgo Alan, Iconic Duncan, Jessica Leopoldina, Biel Figueirôa, Luís Augusto Brito, Mateus Fernandes, and Luelves for accepting being interviewed and for sharing details about their life as creator.


Recentemente, tive a honra de estar em contato com uma comunidade local de criadores de conteúdo no Brasil. Esses criadores produzem conteúdo para pelo menos uma das seguintes plataformas: YouTube, Instagram e TikTok. Juntos, eles têm em média um público de mais de 1 milhão de seguidores. A maioria produz vídeos de entretenimento.

Em minha busca por entender melhor os criadores de conteúdo, decidi recentemente entrevistá-los por chamadas de vídeo. Durante essas ligações, pude perguntar a eles, sobre seus objetivos e problemas que eles encontram como criadores de conteúdo. Aprender sobre a história deles e como eles administram e crescem seu negócio.

Ao longo dessas entrevistas, ficou claro para mim que a maior dificuldade que esses criadores encontram é constantemente manter originalidade através de seu conteúdo. Com a democratização das ferramentas de edição de vídeo da TikTok e do Instagram, agora é mais fácil do que nunca copiar o estilo e o formato de criadores existentes e receber créditos por isso. Os criadores existentes muitas vezes têm dificuldade em manter seu conteúdo original porque eles estão sendo copiados de forma regular. Idealmente, eles gostariam de serem reconhecidos por algum estilo de vídeo que eles inventaram. Por exemplo, um estilo de vídeo de comédia que, mesmo se copiado, os espectadores reconheceriam quem o inventou.

Outro desafio que eles enfrentam regularmente origina-se por serem empreendedores. Como empreendedor, um criador deve criar e manter sua rotina de trabalho. Ele não tem a estrutura fornecida por uma empresa que muitos funcionários têm. Ele tem que se motivar todos os dias para produzir novo conteúdo. Ele precisa aprender a lidar com distrações e saber voltar a focalizar quando não consegue cumprir com seus objetivos pessoais. Isso é muitas vezes uma dificuldade ignorada por um empreendedor.

Como espectadores, não vemos todo o esforço que existe por trás de ser um criador de conteúdo. Vemos apenas o resultado de seu trabalho. Mas, por trás de cada vídeo, muitas horas são gastas criando roteiros, gravando e editando. São inúmeras noites pensando no trabalho dele, o que seu conteúdo representa e que imagem eles comunicam ao seu público. Há incertezas sobre o que o futuro reserva, quais serão as próximas tendências, quais mudanças de plataforma acontecerão e como isso os afetará.

Ser um criador de conteúdo não é apenas gravar e publicar um vídeo, muitas vezes são anos de trabalho árduo sem ter o apoio de amigos e familiares. A maioria dos criadores que entrevistei, vem produzindo conteúdo desde muito jovens e o fazem há mais de cinco anos. Um criador de conteúdo não é apenas um artista, ele é um empresário que leva o seu trabalho muito a sério. Eles provavelmente merecem muito mais respeito por seu trabalho do que as pessoas estão dispostas a lhes dar.

Obrigado a Monisy, Diêgo Alan, Iconic Duncan, Jessica Leopoldina, Biel Figueirôa, Luís Augusto Brito, Mateus Fernandes e Luelves por aceitarem ser entrevistados e por compartilharem detalhes sobre sua vida como criador.